Inatal

Manjedoura deslocada no tempo e no varal

no vento, vendaval, venda cinza nos olhos da noite

Esquina estopim perdida em mais um nascimento

Cor canção da água excluída

Chuva puída e sem semente

Pote sem presentes e sem reinado

Corpo isento e colo murcho

Leite improvável na garrafa de cerveja

Hoje imenso e solitário

sem visitas ou estrela no caminho

Brilho calado de um poste chumbo

Breve choro enfeitado de asfalto e janelas trancadas

mas os olhos estão lá

sonham concreto, reto, teto inundado

De uma esperança rasa e sem cruz

Márcio Leitão

2 ideias sobre “Inatal

    1. profleitao Autor do post

      Regina, além dessa possibilidade de interpretação prefixal, tem a interpretação do inato. Mais uma vez obrigado pela leitura atenta dos meus textos e de outros na zonadapalavra. Sem dúvida você é uma de nossas leitoras mais participativas. Abraços e boas festas.

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s