Nomeação

Escreverei teu nome nos muros de mim mesma, que ladeiam meu corpo 

mais, ainda e tanto.

Lerei teu nome nas gavetas de mim mesma, guardando um riso morto

 cheirando a flor e madeira,

mais, ainda e tão pouco.

Embaixo das árvores, entre  gravetos e chuvas, quarando

mais, ainda e alhures.

 

Tocarei por teu nome, cantarei por teu nome,

 teu nome, teu nome, teu nome… teu nome

 tatuado em minha mente, mais, ainda, e sempre.

 

Na minha fome é teu nome que sacia

Na ansiedade do que me falta,

 mais, ainda, e tanto quanto há de ar e comida.

Escuto teu nome e não há som algum para se ouvir,

Canto de sereias descabeladas, afundadas no mar de não-ser nada além de

mais, ainda, e algures.

 

Construo uma casa para teu nome, varanda e terraço e

mais, ainda e tão pouco.

Beijo e é o gosto do teu nome que deixo na boca do outro.

 

Teu nome-lugar me contém.

Borda da piscina. Limita. Mais e ainda e sempre tão pouco.

(R. Basílio)

Anúncios

Uma ideia sobre “Nomeação

Deixe uma resposta para AMADOR RIBEIRO NETO Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s