POEMAS DE RONALDO CAGIANO

Hoje a zonadapalavra tem o prazer de receber mais um colaborador – Ronaldo Cagiano. 

 

ÁLBUM RECLUSO

Um presente póstumo

invade as páginas

desse baú de espantos.

Na parede ou no álbum

as fotografias

desconstroem as palavras.

Há filosofia bastante

no cortejo dessas traças

que sitiam o passado.

 

Porém,

a refratária infância

perdura

              intangível

no absolutismo de

              tantos silêncios.

EVANGELHO

 

 

dostoiévski é o caminho

kafka é a verdade

drummond é a vida

 

ninguém vai à montanha mágica

sem antes comer um quilo de sal

e matar um leão por dia

 

o Pai está mudo e cego

distante da agonia dos homens

que atravessam o grande sertão: veredas

em busca do tempo perdido

 

é a cinza das horas que me comove, clarice

é a maçã no escuro que me ilumina, bandeira

não sou um dom casmurro, cecília

mas esta morte e vida severinas

me deixam comovidos e de olhos cansados, rawet

 

machado, me fira; fernando, desnude

as pessoas que albergam em mim

enquanto henriqueta me mostra

uma lisboa banhada pelo amazonas

enquanto pelas ruas de coimbra,  torga

me aponte o mondego

onde recolherei destroços os barcos de papel

que um dia naufragaram

                                         nos rios da minha infância

 

se viver, florbela, nos espanca,

e hospício é deus, maura

a poesia quando vem não respeita nada, gullar,

só assim, faulkner,

uma luz em agosto

nos acordará para o crime e castigo de existir

 

DAS COISAS E SEU RITMO               

O sol aceso em meus olhos

fere a estrangeira gestação dos vazios.

 

Há tempo demais nos relógios da cidade:

eternidade com seus cupins de aço

varando nossas entranhas

para o triunfo do imponderável.

 

Estamos purgando a existência

com esses ponteiros insolentes

condenado-nos a um destino de fadigas

ou a nenhum registro nos obituários.

 

Pedra dentro do tempo,

a morte, como a mó,

impõe o ritmo das coisas:

pacientemente nos esfarinha,

grãos de nada

                                    num pomar de bactérias.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s